Boa Tarde ! Hoje é Domingo, 23 de Abril de 2017.
 
Fique por dentro de nosso conteúdo em sua caixa de e-mail:
 




 
Mídia em Foco
28/05/2010
Tea Party versus Sindicatos
No dia 21/05, o colunista do Wall Street Journal, John Fund, fez uma arguta análise da situação de dois grupos amplamente separados no espectro político americano: de um lado o movimento Tea Party e do outro, os sindicatos. Mas o escrutínio da grande mídia sobre ambos é também amplamente diferente.
 
26/05/2010
Folha de São Paulo "muda tudo" e faz giro de 360 graus em sua linha editorial
O maior jornal brasileiro é também provavelmente o que mais incomoda os candidatos a censores ligados ao governo petista, sempre ansiosos em criar novos mecanismos para transformar os 99% de comprometimento dos grandes meios de comunicação em 100, 150%, assim como a aprovação ao governo Lula.
 
26/04/2010
Falha de S. Paulo
Uma falha na Folha de S. Paulo fez três vítimas à queima-roupa: a verdade, os leitores e nós – o Diário do Comércio (DC) e seu Publisher, a Associação Comercial de São Paulo (ACSP).
 
31/03/2010
Imprensa e Liberdade de Expressão
A diferença fundamental da mentalidade numa sociedade livre e numa subjugada, é que na primeira temos atividade pública com elevado grau de transparência e a privacidade dos cidadãos respeitada; já na segunda, temos um Estado cheio de segredos e a vida do cidadão devassada. Eduardo Afonso Bacelar   Democracia é o regime político baseado na escolha pública; e a democracia-liberal na escolha publicamente feita por homens livres. Para fazer escolhas que mereçam esse nome, é preciso que haja o maior acesso possível à informação, e para que esta, por sua vez, esteja disponível, é indispensável que a livre manifestação de opinião e a transmissão de fatos e conhecimentos sejam plenamente garantidas, múltiplas e plurais.
 
26/03/2010
Imprensa "conservadora"? Censura nela
Qualquer pessoa com o mínimo de informação sabe que a grande imprensa no Brasil é pautada pelo esquerdismo: seus dirigentes adoram agradar a esquerda, seus jornalistas são esquerdistas por formação, o material que ela republica vem dos grandes jornais internacionais de inspiração esquerdista. Mas, mesmo assim, a esquerda não está satisfeita. Talvez seja por esse fato que a Folha de S.Paulo se supera, a cada domingo, produzindo edições ainda mais esquerdistas.
 
19/03/2010
Globo.com: nova instância superior da Justiça Eleitoral?
Aredação do portal Globo.com parece não confiar muito nas decisões de nossa Justiça Eleitoral. Ao contrário da maioria dos brasileiros esclarecidos, contudo, sua discordância vai no sentido oposto: para o Globo.com, Lula e o PT não estão fazendo campanha eleitoral antecipada para Dilma.
 
04/03/2010
Jornalistas, armaria e matemática
Já recebi queixas de leitores dizendo que sou muito severo em minhas críticas a jornalistas; que errar é humano; etc, etc, etc. Eu não passo meus dias com uma lupa na mão procurando erros cometidos diariamente pelo pessoal que escreve em jornais. Prezo muito meu tempo livre para desperdiçá-lo dessa forma. Mas não consigo deixar de me irritar com a incomensurável falta de respeito demonstrada pelo pessoal que se mete a escrever sobre estes dois assuntos: armaria e matemática.
 
04/03/2010
Hoje é quase impossível fazer humor político, afirma o humorista Marcelo Madureira
Em tempos de jornalismo em crise, seja por censura direta como no caso do Estado de S.Paulo, seja na autocensura dos meios em geral, raros são os momentos em que se faz uma crítica direta a respeito do democratismo autoritário do governo do PT. Assista a essa breve entrevista do humorista Marcelo Madureira onde afirma, entre outras coisas, que o PT faz ameaças bem ao estilo mafioso.  
 
25/02/2010
Veja bem...
Oleitor já deve ter vivido a ingrata experiência de discutir um assunto qualquer com alguém que tem como fontes de informação primária os jornais, as revistas ou pior: a televisão; esse alguém  sempre acha que sabe das coisas, mas quando você o aperta com perguntas e argumentos que esses veículos não divulgaram, ou quando você faz questionamentos que são fruto daquilo que você investigou em vários livros e também junto a especialistas, a reação desse seu interlocutor é quase sempre neste tom: “Veja bem... não é bem assim. Você está complicando as coisas... Estou dizendo aquilo que a revista disse... ”.
 
08/02/2010
Novo para quem?
No Estadão: “Novo escândalo põe em dúvida dados do painel do clima”.  Novo para quem? Ora, ora, o outrora glorioso Estadão vale-se de despachos da agência EFE (Espanha) e do jornal de esquerda britânico The Guardian para falar  em “novo escândalo”, quando na verdade, é apenas a consequente e controlada revelação de mais dados que comprovam a fraude  que esses mesmos veículos de comunicação acobertaram e sustentaram durante anos. Mas os catastrofistas não perdem a pose e agem com a  “imparcialidade” que lhes é peculiar: publicam as desculpas dos fraudadores, insistindo na amplamente refutada tese do AGA.
 
15/10/2009
Mídia “reacionária” continua fazendo de tudo para proteger Lula
Não tem jeito: por mais que o MST grite, a mídia brasileira não consegue cumprir seu papel “reacionário” e “golpista”, e faz qualquer esforço para proteger o presidente Lula de situações que poderiam abalar sua popularidade.
 
22/09/2009
Programa da BBC desce a novas profundezas da intolerância e fanatismo
Voltando de minhas férias, atualizei-me com um tópico deveras repulsivo. Era a opinião de Katya Adler, transmitida na noite de segunda-feira [07/09] durante o programa Newsnight da BBC [via Internet], a respeito dos rabinos militares nas Forças de Defesa de Israel [IDF]. Ela apresentou como algo profundamente chocante o fato de que esses rabinos são oficiais treinados que portam armas e que agora são dispostos na linha de frente de combate.
 
11/07/2009
Proteção da imprensa brasileira a Obama perde senso de ridículo
A imprensa brasileira não se contenta mais em proteger somente Lula dos escândalos e suspeitas que rondam as 24 horas diárias de sua rotina como presidente - é preciso uma personalidade maior para satisfazer o ímpeto do brasileiro para a bajulação politicamente correta.
 
01/07/2009
CQC dá uma forcinha à moribunda greve da USP
SE um janota de terno preto e microfone na mão abordar você na rua e, inquisitivo, perguntar por que você está vestido, e não desnudo, tome cuidado: pode ser um dos comediantes do CQC invertendo o ônus da maluquice. Foi mais ou menos isso que um deles fez no programa do dia 29 de junho: ao invés de questionar por que uma meia dúzia de desocupados e parasitas que não produz nada decide parar a maior universidade do país (a despeito de toda a vontade existente em contrário), Danilo Gentilli foi à USP ridicularizar e colocar na parede os alunos que não querem violentar a vontade alheia e participar de uma greve inútil. Mas nada disso é novidade para o CQC: seus "jornalistas" são especializados em enfrentar pobres coitados e analfabetos e "afinar" para o establishment esquerdista. O programa não é o tipo de unanimidade brasileira à toa: sabe bem com quem pode ou não "brincar" (ao contrário do "Pânico na TV", por exemplo, que exatamente por não saber é muito mais original e transgressivo). Possuídos pela maldição do "outro-ladismo" típica da Folha de S.Paulo, logo o CQC estará mostrando os "dois lados" em estupros, sequestros e manifestações de neonazistas. O vídeo prova que os alunos não-grevistas são bobinhos e inocentes, caindo como patos na armadilha esquerdista de butique do CQC. A malícia que falta à "direita" sobra e transborda na esquerda brasileira. Quanto aos comediantes do CQC, cuidado velhinhas, coelhinhos e criancinhas segurando pirulitos: se ninguém segurar esses valentões engravatados, eles vão pegar vocês!
 
28/06/2009
CQC tenta se redimir de bajulações a Lula em novo quadro
Ao contrário de seu sinistro similar "Pânico na TV", o CQC costuma ser um exemplo de bom comportamento e submissão ao establishment político e cultural. Sobram pisões para celebridades de segunda categoria e políticos caricatos, enquanto que os queridinhos são tratados com constrangedora reverência.
 
17/06/2009
Jornalistas brasileiros se emocionam com vídeo de Obama matando uma mosca
A bajulação, a parcialidade e a falta de critério jornalístico certamente não são privilégios da imprensa brasileira quando o assunto é Barack Obama. Mas, como em outras "áreas de especialização" (corrupção, tributação excessiva, subserviência ao pensamento politicamente correto, etc.), o brasileiro se supera a cada dia no doce esporte de puxar o saco do presidente americano.   Nesta "notícia" do Jornal Hoje, os apresentadores deleitam-se e derramam-se em elogios frente ao vídeo onde Obama literalmente "mata uma mosca". Seria patético, se não fosse pior que isso: são estes os mesmos jornalistas que filtram e editam notícias importantes sobre política nacional e internacional para milhões de espectadores desavisados, diariamente.   E não podemos nos iludir: se é assim na Rede Globo, é ainda pior nas outras emissoras, mais pobres e mais dependentes de verbas oficiais e da pauta das agências internacionais.   Divirta-se (se puder) assistindo aqui:     Ou aqui: http://g1.globo.com/jornalhoje/0,,MUL1197878-16022,00-MOSCA+ATAZANA+OBAMA+DURANTE+UMA+ENTREVISTA.html  
 
31/05/2009
Helen Thomas, a jornalista "engajada" mais velha do mundo
Alógica do telejornalismo, e em especial o brasileiro, é facilmente identificável para quem se dispuser a assistir, pacientemente, a uma dúzia de horas de TV por semana. Cada "reportagem" tem um sentido final que é falsamente escamoteado até a revelação no desfecho da matéria. Assim, é possível identificar, nos primeiros 30 segundos, aonde o jornalista está querendo chegar. Não há surpresa e, portanto, nenhuma descoberta, num jogo de reações prontas e conhecidas. O que ficamos sabendo já era sabido desde o começo.
 
14/04/2009
Líderes e ditadores: uma visão da Reuters
Para a agência de notícias Reuters, permanecer no poder por décadas e ser provavelmente responsável por dezenas de milhares de mortes ou prisões arbitrárias não são dados suficientes para que um político seja chamado de ditador. É preciso mais. Ou melhor: é preciso alguma “outra coisa”.
 
08/04/2009
Distorção metonímica
A Folha de S.Paulo descobriu um jeito curioso de informar atos impopulares dos políticos ou falhas dos governos. Repare na capa da edição de 1º de abril de 2009: Veja como o jornal informa um novo aumento tributário do Governo Lula:   “Planalto já cogita novo aumento de taxa sobre cigarro”.   A medida é, obviamente, impopular: a carga tributária no Brasil é reconhecidamente excessiva e injusta, e há muitos leitores fumantes.   Agora, veja como a mesma capa do mesmo jornal julga o comportamento da administração Kassab na Prefeitura de São Paulo:   “Kassab ignora promessas de campanha em plano de metas”.  
 
02/04/2009
Quase um Chicago Boy
A entrevista de Fareed Zakaria com Lula para a Newsweek de 30 de março possui alguns pontos interessantes, em meio a várias perguntas sobre economia, perspectivas de crescimento e crise mundial. Zakaria erra no ponto em que os analistas social-democratas erram. Lula é o outrora “esquerdista radical que aceitou as regras do livre mercado”. Zakaria não menciona o aparelhamento do Estado brasileiro, a compra de apoio político no congresso, a destruição do ensino público ocasionado pelas “classes progressistas”, as invasões de terra e a relativização do direito de propriedade, a destruição da segurança pela assombrosa ascensão da criminalidade devido às drogas. Mas ainda assim é corajoso, diferentemente de jornalistas brasileiros quando face a face com Lula. 
 
01/04/2009
Folha de S.Paulo permanece fiel a ditadura em Cuba
A Folha de S.Paulo, como se sabe, é o jornal “que tem um ombudsman”. Nas palavras do próprio jornal:   “Ombudsman é uma palavra sueca que significa representante do cidadão. Designa, nos países escandinavos, o ouvidor-geral – função pública criada para canalizar problemas e reclamações da população. Na imprensa, o termo é utilizado para designar o representante dos leitores dentro de um jornal. A função de ombudsman de imprensa foi criada nos Estados Unidos nos anos 60. Chegou ao Brasil num domingo, dia 24 de setembro de 89, quando a Folha, numa decisão inédita na história do jornalismo latino-americano, passou a publicar semanalmente a coluna de seu ombudsman.
 
1 2 3



Redação: Paulo Zamboni
AmbientalismoAmérica LatinaBrasilCulturaEconomiaEntrevistasEUA e GeopolíticaEuropaMídia em FocoOriente MédioPolíticaSegurança Pública
Artigos IndicadosCLIPPING@MAISEspecialLiteraturaResenhas
Home Editorial Faq Fale Conosco


Canais:
 
MÍDIA A MAIS © COPYRIGHT 2013, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS