Boa Tarde ! Hoje é Domingo, 23 de Abril de 2017.
 
Fique por dentro de nosso conteúdo em sua caixa de e-mail:
 




 
Política
25/10/2010
Pequeno Dicionário Mídia@Mais de Termos e Expressões Esquerdistas
OMídia@Mais tem o imenso prazer de lançar, com muito bom humor, os primeiros verbetes do novíssimo  Pequeno Dicionário Mídia@Mais de Termos e Expressões Esquerdistas.
 
17/10/2010
Uma luz em Oslo
OComitê Norueguês do Nobel  viu repentinamente a luz. Após uma experiência de quase morte no ano passado, quando concedeu seu cobiçado Prêmio da Paz ao presidente Obama, redimiu a si próprio e à honraria ao homenagear Liu Xiaobo. O Nobel da Paz sempre se inclinou pela esquerda: lembrem-se que os premiados recentes incluem não só Obama, mas também Al Gore e Jimmy Carter.
 
11/10/2010
As voltas que o mundo dá
Até o dia 3 de outubro era mais fácil encontrar-se um esquimó surfando em Copacabana do que um petista que fosse contra o aborto. Claro que eles existiam, mas raramente emitiam um pio sobre o assunto. A defesa do aborto, dentro do partido, é cláusula pétrea, reiteradamente pétrea. Ser contra o aborto suscita pedidos de excomunhão das hostes partidárias, como aconteceu com uns dois ou três deputados federais que se meteram a criticar seus pares e a reprovar as decisões que tomavam a esse respeito. Esses parlamentares foram condenados a penas de suspensão, uma espécie de silêncio obsequioso ao longo do qual o filiado, entre outras coisas, não pode fazer discurso em nome do partido, participar de comissões nem votar em instâncias partidárias.
 
03/10/2010
Tomei uma decisão
Acordei hoje com um pensamento fixo: "Preciso escolher meu candidato à Presidência da República." Mas, votar em quem? O primeiro pensamento foi: NÃO VOTAREI NA DILMA! Mas por quê? Seria por causa do Lula? Quando lembro-me do Lula, tenho uma certa aversão, mas aí vem o pensamento: "Como posso ter aversão a um presidente que na última pesquisa teve 81,7% de aprovação pelo povo brasileiro? (Fonte: "Jornal A Folha de São Paulo "). Comecei a imaginar que o problema está em mim e não no Presidente Lula.
 
03/10/2010
O desabafo de um eleitor
Este é o meu esforço final, pelo menos neste primeiro turno da eleição, para ajudar na reflexão sobre as conseqüências que podem advir de uma opção errada neste momento. Não é possível que os brasileiros, incluída aí a dita elite, não consigam enxergar o preço que já pagaremos, inevitavelmente, pela orgia de intervencionismo estatal que estamos vivendo, pelo inchaço da máquina pública, o aparelhamento descarado, a fúria burocrática, o incentivo à degradação sistemática de valores e tudo o mais que não foi inventado agora, mas se tornou um método, associado a uma máquina publicitária até então só vista em regimes totalitários.
 
28/09/2010
O coice de burro da Ilustrada a favor de Dilma
Éfácil saber o lado certo numa polêmica "cultural": basta descobrir o que o caderno Ilustrada, da Folha de S.Paulo, disse a respeito. Se ele falou bem, a coisa é feia. Se falou mal, pode pular para dentro do barco. Um "artista" argentino veio ao Brasil fazer propaganda política para a candidata do PT: a Justiça Eleitoral lembrou de aplicar a lei (ora, a lei...), lembrando que a Bienal é realizada num espaço público, financiada com dinheiro público, e que lá não é lugar disso. Pois bem: sabe como a Ilustrada chama a isso? De "censura".
 
23/08/2010
Negacionistas do PT insistem em independência das Farc
Com a morte dos principais líderes e com o enfraquecimento da guerrilha colombiana, lideranças do PT se sentem confortáveis em negar relações mútuas no Foro de São Paulo, entidade que nasceu com aproximadamente 15 anos de idade.
 
10/08/2010
O Bico Doce de FHC
Fernando Henrique Cardoso volta a atacar, desta feita com um livro intitulado “Xadrez internacional e social-democracia” (Editora Paz e Terra, 2010, Rio), uma coletânea de textos requentados (daí, o preço “irrisório”: R$ 29,00) sobre as transformações econômicas e políticas do mundo atual, em especial da América Latina e do Brasil. O trololó de FHC tem fôlego curto e, como sempre, fica no terreno da típica “embromation” uspiana: em síntese, para ele, desenvolvimento econômico e social são fenômenos circunscritos às relações de poder. E como o Bico Doce enxerga o  mundo feito um tabuleiro de xadrez, no qual se joga a estratégia (macabra) dos partidos políticos (de esquerda) para manter o poder, o que importa na sua visão de “intelectual orgânico” é como se tramar novas regras à frente do governo para melhor tungar, com maior ou menor dose de esperteza, a patuléia ignara.
 
06/07/2010
Porque Serra vai perder
“Toda indulgência para com os culpados revela conivência” Napoleão Bonaparte Antes das chamadas “convenções partidárias”, período em que os partidos  apresentam os candidatos à disputa eleitoral da presidência da República, o “pré-candidato” José Serra, do PSDB, marcava 10 pontos de vantagem sobre a candidata do PT, Dilma Rousseff - então, uma mutante ex-terrorista em fase de recauchutagem facial e adestramento “neoliberal” (administrado, na moita, pelo trotskista Antonio Palloci, o amigo das Farc e das meninas brasilienses de Jeany Mary Corner).
 
28/06/2010
Transparente e enrustido
Não é raro que em debates de rádio e tevê surjam interlocutores que se apresentam revestidos de credenciais acadêmicas. Proclamam-se técnicos e querem que seus argumentos sejam apreciados por sua "objetividade científica". No entanto, têm lado, ocupam bem cavada trincheira ideológica ou partidária, vestem colete a prova de balas, escudo, viseira e disparam seu arsenal com determinação. Mas assumem ares de isenção. Não requer muito esforço desmontar a cena e expor a falsidade da situação: cientista militante é apenas um militante cientista, é intelectual orgânico, tão a serviço da causa quanto o sujeito que, na madrugada, sai à rua para colar cartazes. Nada há de errado em ter lado. Errado é esconder o lado onde se está. É fingir neutralidade e isenção quando não se é neutro nem isento.
 
17/06/2010
Pesquisas eleitorais
Existem coincidências que merecem ser olhadas com cuidado. Até poucos dias antes da eleição presidencial colombiana os institutos de pesquisa davam como certo um empate técnico no primeiro turno. Abertas as urnas, o candidato do presidente Uribe, José Manuel Santos, teve 46,3% dos votos e Antanas Mockus, o darling da imprensa internacional e alegria dos seguidores do títere venezuelano, ficou com 21,7% dos votos.
 
10/06/2010
Eu acuso o Partido Comunista Chinês
Andrei Sakharov, Nelson Mandela, Vaclav Havel, Lech Walesa –, eis os nomes com os quais, nos anos 1980, tínhamos de nos familiarizar. Eram símbolos, membros da resistência a tiranias bestiais. No nosso Ocidente, um grupo representado por intelectuais e políticos dava-lhes apoio e confiança.
 
07/06/2010
Lanterna na popa
Tomo emprestado para este artigo o nome de um livro de Roberto Campos. A imagem da lanterna iluminando a esteira deixada pelo barco enquanto a proa abre caminho nas trevas é uma das permanentes analogias nacionais. A próxima eleição presidencial é, apenas, o mais recente exemplo. O país do futuro traz o passado como chiclete na sola do sapato.
 
06/06/2010
Você já leu essa notícia antes: imprensa golpista requenta "manchete do empate" pela enésima vez
Amídia brasileira que, como se sabe, é "conservadora" e "oposicionista", continua menos interessada em investigar os abusos cometidos pelo governo federal perante a inútil - posto que solenemente ignorada - legislação eleitoral do que em tentar criar factóides a respeito da ascenção pouco meteórica da candidata petista, Dilma Rousseff, ao tão esperado empate com o candidato José Serra.
 
23/05/2010
A orfandade do liberalismo
Democracia especial, essa que montaram no Brasil pós-abertura. O povo é de centro, empreendedor e acredita na iniciativa privada. Apresentamos uma extraordinária mobilidade social e, no entanto, ninguém quer defender o empresário do achaque via impostos, fiscalização corrupta e legislação enlouquecedora na área ambiental e na trabalhista.
 
14/05/2010
Legislação do "sorvete na testa": políticos têm certeza que os cidadãos não enxergam um palmo a frente do nariz
E a lista de leis inúteis ou simplesmente bizarras parece não ter fim: dê uma olhada nas últimas invenções dos políticos brasileiros para controlar a vida dos cidadãos em situações absolutamente desimportantes ou genuinamente privadas.
 
24/02/2010
Brasília, a mãe de todos os escândalos
Mergulhada num eterno mar de corrupção e sufocada por ondas sucessivas de escândalos, Brasília vai completar 50 anos no próximo 21 de abril. Os principais veículos da mídia cabocla estão faturando alto com anúncios programados pelo ora trancafiado (ex-) governador José Roberto Arruda, que, entre outras bravatas, diz ser a cidade artificial uma das “mais admiráveis do mundo”.
 
22/02/2010
Estão discriminando a ministra!
Durante recente debate no Senado Federal, após ouvir críticas de oposicionistas ao comportamento da ministra Dilma Rousseff, a senadora Cerys Slhessarenko pediu um aparte para dizer que aquelas afirmações feitas pelos senadores compunham um quadro de discriminação à mulher.
 
18/02/2010
Ruralista critica ideais "pseudossocialistas" do PT. "Pseudo" onde, amigo?
O PNDH - Plano Nacional de Direitos Humanos - da administração Lula não serviu tanto para comprovar os objetivos da extrema esquerda que ganha cada vez mais espaço no governo (isso todo mundo já sabia), e sim mais para exibir a absoluta incapacidade que as oposições têm em pensar o país estrategicamente.
 
30/01/2010
Inundada e caótica, cidade de São Paulo reafirma investimento em... teatro!
Administração de ponta, inovação, escala de prioridades, inteligência na discricionariedade: nada disso é marca de gestão nos governos de forma geral, e especialmente no Brasil. Mas no atual momento vivido pela cidade de São Paulo, continuar gastando o dinheiro do contribuinte afogado no “teatro alternativo” chega a ser quase uma ofensa.
 
28/01/2010
Não há por que se decepcionar
Pessoalmente jamais me decepcionei com o governo Lulla. Aliás, tendo a manifestar uma certa irritação quando ouço alguém dizer que está decepcionado porque surgiu mais alguma peça do rosário de escândalos, ou porque os mais notórios coronelões da velha política nele estão abrigados, ou porque o falastrão-mór deu mais algum dos seus espetáculos grotescos ou, ainda, porque, apesar de ser um grande líder, mais uma vez não sabia de nada.
 
17/01/2010
Choque da desordem e a “indústria de multa”
Antes de tudo devo me penitenciar junto aos leitores do Mídia@Mais por não ter esclarecido em minúcia, no artigo sobre o Choque da Desordem no Rio de Janeiro promovido pelo prefeito Eduardo Paes, que “estacionamento defronte aos prédios sem garagens”, defendido por mim, não é, sob nenhuma hipótese, a mesma coisa que “estacionamento em calçada” – equívoco que determinou a justa reação de alguns leitores. Sendo um intransigente defensor do livre direito de ir e vir, como defender o estacionamento de veículos nas calçadas, um abuso flagrante ao pedestre? Nem de porre!
 
14/01/2010
Governos e polícia: desistindo de combater o crime em São Paulo
Ocentro de São Paulo assistiu, nos últimos anos, a uma guerra silenciosa que pode não ter chegado a seu final, mas já tem um vencedor: o crime.
 
08/01/2010
Rio de Janeiro: choque da desordem
Mas, como ia dizendo no último artigo, em pouco menos de um ano o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, versão carioca do Conde Drácula, já cometeu todo tipo de vilania contra os seus munícipes, a começar pela ampliação de tributos e criação de novos impostos - dois achaques que prometeu à população jamais cometer. Sim, claro, o “carioca” protesta e assume ar de indignação, escreve incontáveis cartas às redações de jornais, mas não há do que reclamar: todo mundo pressentia que, embora noviço no executivo, Paes iria se comportar como o político (socialista) veterano que só enxerga no cidadão a presa indefesa a ser vampirizada.
 
21/12/2009
Patética indignação
E stamos sendo convocados à indignação. De novo? De novo. Indignemo-nos, pois! Fiquemos todos muito, mas muito irados! Sapateemos nossa revolta! Não funcionou? Pintemos o rosto, ponhamos um nariz de palhaço, toquemos sineta, sopremos apitos, façamos um buzinaço. Nada? Deitemo-nos no chão e tenhamos um chilique, que aí a coisa vai. Não foi? Mas que diabo, seu! Deve ter gente que ainda não se indignou tanto quanto deve. Temos que ficar todos assim tipo “pedavida”, entenderam?
 
28/11/2009
O filme de Lula e a propaganda criminosa
Oarticulista Zuenir Ventura, comunista light a serviço da patotagem do cinema novo, reverberou a opinião (“O Globo” 25/11/09) de Luiz Carlos Barreto, quem sabe bolado nos intestinos mentais deste produtor, de que o filme “Lula, o filho do Brasil” (no qual a Globo Filmes, empresa das Organizações Globo, investiu R$ 800 mil) foi produzido “para ganhar dinheiro, sem qualquer objetivo ideológico”. Antes, no mesmo espaço, fazendo marketing disfarçado, Ventura já havia caitituado o filme de Lula, que, segundo ele, iria “mexer com a emoção e encharcar o cinema de lágrimas”.
 
19/10/2009
O Candidato Ciro
Diante dos problemas da existência humana, os políticos mais malandros têm sempre à mão suas meizinhas para uso genérico. Em geral de esquerda, eles formulam as mais primárias equações para resolver problemas insolúveis e apontam bodes expiatórios os mais descabidos como responsáveis pelas mazelas do mundo – mazelas que prometem liquidar tão logo assumam o poder.
 
17/10/2009
Uma carreira mal iniciada
Osr. Paulo Skaf, por  capricho do destino e da atual pobreza de quadros nos meios industriais paulistas com vocação para herdeiros de Roberto Simonsen, chegou à presidência da FIESP. E acaba de aderir  à América Latina em que vivemos, ao Brasil do oportunismo, da omissão, do carreirismo. Assinou a ficha do Partido Socialista Brasileiro – que até abriga homens públicos da melhor qualidade, mas é socialista. A FIESP é – ou deveria ser – a casa do capitalismo, do empreendedorismo, do respeito à livre empresa,   ao papel político e social do empresário.
 
02/10/2009
FIESP rumo à “progressiva socialização dos meios de produção”
O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Paulo Skaf, é desde o dia 30 de setembro de 2009 um filiado do Partido Socialista Brasileiro. O acontecimento ganha os típicos ares de irrelevância que predominam em 99% das movimentações político-partidárias no país: aparentemente, o homem será candidato (virtualmente derrotado) ao Governo de SP no ano que vem.   Ocorre que provavelmente existe uma incômoda incompatibilidade entre o programa do PSB, ao qual o novo filiado deveria prestar certa fidelidade, e as obrigações de um dirigente de entidade como a FIESP.
 
14/09/2009
Na boca do Jacaré
No Brasil as coisas são assim. Vamos do oito aos oitenta sempre longe do ponto de equilíbrio. Nossas Forças Armadas vivem à míngua de recursos financeiros e materiais. Nossos soldados andam vestidos e equipados à moda da primeira metade do século passado. Nossos oficiais são mal pagos. Tem recruta brigando por espingarda de rolha nos quartéis. E aí decidimos comprar um sortimento de submarinos, helicópteros e aviões condenados a permanecer no solo porque cada movimento ou operação dará um tombo no custeio do ministério da Defesa. Estou convencido de que temos prioridades maiores, inclusive no seio das corporações militares.
 
1 2 3 4 5 6



Redação: Paulo Zamboni
AmbientalismoAmérica LatinaBrasilCulturaEconomiaEntrevistasEUA e GeopolíticaEuropaMídia em FocoOriente MédioPolíticaSegurança Pública
Artigos IndicadosCLIPPING@MAISEspecialLiteraturaResenhas
Home Editorial Faq Fale Conosco


Canais:
 
MÍDIA A MAIS © COPYRIGHT 2013, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS