Boa Noite ! Hoje é Sexta Feira, 28 de Abril de 2017.
 
Fique por dentro de nosso conteúdo em sua caixa de e-mail:
 




 
> Ambientalismo
Compartilhar
Telhados e gramados naturalmente brancos - Paraná tem a madrugada mais fria em 11 anos: - 6,1ºC
- Redacao Midia@Mais
Todos os anos, jornais e TVs dão notícias sobre o frio na Região Sul do Brasil. Num país tropical, frio é notícia e o leitor já deve estar acostumado com as imagens de telhados e gramados brancos, cobertos de fina camada de gelo enquanto pessoas tiritando de frio dão sorrisos ou esfregam as mãos. São as geadas. Na madrugada de hoje, 28/06, foram registradas geadas em muitas localidades do sul do país. O Paraná teve a madrugada mais fria em 11 (onze) anos: 6,1°C negativos.

Todos os anos, jornais e TVs dão notícias sobre o frio na Região Sul do Brasil. Num país tropical, frio é notícia e o leitor já deve estar acostumado com as imagens de telhados e gramados brancos, cobertos de fina camada de gelo enquanto pessoas tiritando de frio dão sorrisos ou esfregam as mãos. São as geadas. Na madrugada de hoje, 28/06, foram registradas geadas em muitas localidades do sul do país. O Paraná teve a madrugada mais fria em 11 (onze) anos: 6,1°C negativos.

Diante dessa notícia, muitos paranaenses lembram o ano de 1975 com um misto de saudosismo e apreensão. Saudosismo porque foi a última vez que nevou na então pacata Curitiba, para a alegria e encanto de crianças e adultos. A apreensão vem por conta de algo bem mais sério: a chamada geada negra que ocorreu logo depois.
 
Literalmente da noite para o dia, os enormes cafezais do norte do Paraná, até então o maior produtor de café do Brasil, foram quase que totalmente dizimados.  A geada “queima”.   Os prejuízos foram enormes, sem distinção quanto ao tamanho das propriedades rurais. Centenas de milhares de pessoas perderam seus empregos, propriedades e economias. Veja imagens e um relato aqui:
 
 
 
Nisso tudo, alguns detalhes chamam a atenção:
 
·         A linha do Trópico de Capricórnio, coincidentemente, passa sobre a cidade de Londrina (norte do PR) e também sobre a cidade de São Paulo. Portanto, ocorreram geadas em áreas oficialmente tropicais. Os fenômenos meteorológicos não obedecem a convenções humanas.
 
·         Os jornais do Paraná falam em temperatura mais baixa em 11 (onze) anos. As atividades solares têm vários ciclos: de 11,22, 87, 210 e de 1.500 anos.  O número “11” é uma coincidência, mas não é coincidência o fato de que um dos ciclos de 11 anos começou atrasado e muito fraco. Isso pode ter consequências ruins para nós aqui na Terra.
 
É claro que de um fenômeno meteorológico relativamente comum e próprio de uma determinada região não se pode extrapolar e chegar a nenhuma conclusão em termos globais. Em todo caso, essa onda de frio que atinge o Sul do Brasil bem pode servir para lembrar às pessoas que é o frio, e não o calor, o grande inimigo do homem.
 
Para uma análise bem mais detalhada e abrangente acerca das atividades solares e suas consequências, não perca amanhã, dia 29/06, aqui no M@M, o artigo O Sol pode estar entrando numa fria... e nós também”.
 

 

 



 
Compartilhar

COMENTÁRIOS
29/06/2011
(julio cesar)

Se há meios estatísticos, pode-se verificar no clima aqui do Rio de Janeiro, que as estações, diferente do que aprendemos na nossa época de escola primária há quarenta anos passados, quando ensinavam que só existiam praticamente duas estações verão forte e inverno fraco, estão muito mais definidas adequando-se perfeitamente ao calendário de mudança de estações. Lí sobre uma pesquisa que aponta para a mudança no comportamento de uma corrente oceânica(quente) que tem origem no Oceano Índico , contorna a África e sobe em direção ao Atlântico Norte, e talvez explique algumas mudanças como a que me refiro acima. Também não lí nadinha mais sobre o assunto.
 
28/06/2011
(Edenilson)

"Eles" conseguem transformar ondas de frio como essa numa consequencia do aquecimento global. Sim, "eles" não dão o braço a torcer!!!
 
28/06/2011
(Ricardo)

Pois é, e tem gente que ainda acredita (por fé, é claro, ou dinheiro, também) que o "aquecimento global" é o vilão! Gostaria de levar essas pessoas para a Antártida, onde trabalhei por três meses seguidos de VERÃO e vi como o frio é uma Máquina Letal! Lá iria proceder um ritual de exorcizar o AGA! 11 anos!!! E lá vem mais frio... Ricardo Augusto Felicio Prof.Dr.Climatologia USP - FFLCH - DG
 
INSERIR COMENTÁRIO
Nome / Apelido
E-mail (opcional)
Comentário



Redação: Paulo Zamboni
AmbientalismoAmérica LatinaBrasilCulturaEconomiaEntrevistasEUA e GeopolíticaEuropaMídia em FocoOriente MédioPolíticaSegurança Pública
Artigos IndicadosCLIPPING@MAISEspecialLiteraturaResenhas
Home Editorial Faq Fale Conosco


Canais:
 
MÍDIA A MAIS © COPYRIGHT 2013, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS