Bom dia ! Hoje é Terça Feira, 28 de Março de 2017.
 
Fique por dentro de nosso conteúdo em sua caixa de e-mail:
 




 
> Ambientalismo
Compartilhar
Ora, ora! Veja só: Florestas crescem e ficam mais densas no mundo todo
- Henrique Dmyterko
Há décadas que as ONGs ambientalistas vêm lançando uma densa cortina de fumaça, espalhada pela grande mídia (mundial e tupiniquim) com célere obsequiosidade e muito pouca preocupação com os fatos: o homem está destruindo as florestas, as florestas vão desaparecer, as florestas tropicais e equatoriais - especialmente a da Amazônia- são o pulmão do mundo, o clima está mudando por que o homem desmata... Esqueci alguma coisa?

Há décadas que as ONGs ambientalistas vêm lançando uma densa cortina de fumaça, espalhada pela grande mídia (mundial e tupiniquim) com célere obsequiosidade e muito pouca preocupação com os fatos: o homem está destruindo as florestas, as florestas vão desaparecer, as florestas tropicais e equatoriais - especialmente a da Amazônia- são o pulmão do mundo, o clima está mudando por que o homem desmata... Esqueci alguma coisa?

 
Certamente, mas a tal cortina de fumaça é realmente muito densa e apenas os seus objetivos são cristalinos: propagar e consolidar um infundado alarmismo catastrofista através de clichês e imagens tenebrosas. Segundo eles, os amantes de Gaia, proteger as florestas é proteger o planeta, é proteger os gorilas e seus primos de você, o terrível bicho homem que usa papel higiênico e móveis feitos de serragem prensada com a mesma desfaçatez de quem se candidata à presidência da república defendendo “a biodiversidade e os povos da floresta” enquanto o distinto cônjuge parecia estar envolvido em contrabando de mogno maciço. 
 

" alt="" />É evidente que houve e há desmatamento ilegal e predatório. Não há como negar. Aliás, o maior latifundiário do Brasil, conhecido como MST é, isoladamente, o “nosso” maior destruidor de florestas nativas, especialmente no Sul do país. Também é evidente que pesquisas científicas devem ser levadas a cabo com o fito de aproveitar as riquezas biológicas e minerais ainda escondidas nas florestas, mas em benefício de todos os brasileiros e não das ONGs verdes e de seus financiadores locais e internacionais.

Antes de comentar uma notícia publicada pelo jornal inglês Daily Mail em 06.06.2011, algumas observações:
 
1.    O clima está mudando porque é isso que o clima faz: mudar de forma constante e natural.
 
2.    A Amazônia não é o “pulmão do mundo”. No balanço, lança mais CO2 na atmosferado que o absorve. A natureza é assim, ingrata e imprevisível, sem esquecer que tal fato não faz a menor diferença para o inexistente AGA. Ademais, o CO2 NÃO é poluente, é o gás da vida.
 
3.    As florestas tropicais e equatoriais existem por que em tais lugares chove muito, e não o contrário, como muitos basbaques e espertalhões passaram anos afirmando.
 
4.    Até onde sei, a notícia em pauta não foi reproduzida por nenhum outro jornal, revista, TV ou grande portal brasileiro da Internet: “O que é bom para nós, divulgamos; o que não é...”. E a julgar pela atual política ambiental do governo federal, especialmente em Roraima, é pouco provável que seja objeto de ponderação ministerial.
 
Dito isto, o artigo do jornal inglês, apesar de desmistificar alguns dogmas, permanece fiel ao jargão jornalístico verde/politicamente correto. Velhos hábitos são difíceis de mudar. Paciência.
 
***
Forget deforestation [Esqueça o desmatamento]
 
Durante anos, os expoentes das teorias de mudanças climáticas usaram imagens de desflorestamento para dar suporte à sua causa.
 
Todavia, a densidade das florestas e das áreas reflorestadas ao redor do mundo, na realidade, está crescendo, de acordo com um respeitado estudo científico. A mudança, que vem sendo chamada de “A Grande Reversão”, pode se revelar crucial na redução do carbono [sic] atmosférico, que está ligado às mudanças climáticas [sic].
 
Entre 1990 e 2010, da Finlândia à Malásia, o adensamento florestal se deu tão rapidamente a ponto de reverter as perdas [sic] de carbono causadas pelo desmatamento.
 
Na Grã-Bretanha, a densidade florestal cresceu 10,8%, e 6,6% por todo o continente europeu entre os anos 2000 e 2010.
 
Até mesmo na América do Sul [note a sutil e interessante ênfase sobre a Amazônia] e na África, que sofreram em função da [expansão] agricultura e das madeireiras, foram registrados aumentos na densidade florestal de 0,8% e de 1,1%, respectivamente. [...]
 
[...] Num país com o tamanho do Brasil, que tem mais de 500 milhões de hectares de florestas já bastante densas, um pequeno incremento significa milhões de toneladas adicionais de carbono mantidas no restante da floresta tropical. [...]
 
[...] A pesquisa, realizada por equipes da Universidade de Helsinque e da Rockefeller University, de Nova York, revelou que as florestas estão se adensando em 45 dos 68 países avaliados; juntos, representam 72% das florestas globais.[...]
 
***
 
É interessante notar que não faltam as declarações de críticos do estudo. Se você pensou em algum dirigente do Greenpeace, acertou. Mesmo sustentando a tese do AGA, os números da pesquisa não foram agradáveis aos verdes mais zelosos.
 
O motivo alegado, segundo o Greenpeace, é que grande parte desse aumento na densidade florestal teria se dado por reflorestamento, o que prejudicaria a biodiversidade. Aqui a paciência acaba: a ideologia que arquitetou o movimento ambientalista, mesmo que muitos de seus militantes não a conheçam, é a pseudociência da eugenia, aquela que tem bases racistas e pretende melhorar a espécie humana eliminando 80% dela nas próximas décadas.
 
" alt="" />

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Para ler a íntegra do artigo original (em inglês), clique aqui.
 



 
Compartilhar

COMENTÁRIOS
12/07/2011
(Júlio)

Marly, se apenas a escala geológica permite o entendimento da relação homem X planeta, então o estudo citado, que cobre um período de somente 20 anos, não serve para tirar conclusão nenhuma acerca da evolução das florestas.
 
12/07/2011
(Henrique Dmyterko)

Júlio, A leitora Marly afirmou, corretamente, que:"Só a Escala Geológica dá o perfeito entendimento da relação homem X planeta". Homem X Planeta, entendeu?. As florestas são um dos aspectos/componentes do planeta e podem ser estudadas de diferentes ângulos. Em vez de dar conselhos furados e passar vergonha nos seus 15 segundos de notoriedade virtual, primeiro estude e depois aprenda a argumentar. Não distorça as coisas, pois aqui vc não se cria, nem mesmo no anonimato.
 
11/07/2011
(Júlio)

Há algo a considerar no artigo indicado pelo leitor Marcos. O artigo indica o registro de diminuição de florestas no Brasil, mesmo considerando o regeneração natural, que não compensou a perda de área. Inclusive essa informação também está de acordo com os relatórios da FAO: www.fao.org/forestry/fra/fra2010/en cuidado para não se tornarem tão extremistas quanto aqueles que vocês criticam! Houve aumento da densidade no Brasil e foi esse o ponto afirmado. Se isso é "extremismo" e  vc quer ter o monopólio da verdade, paciência, nada podemos fazer. Redação MÍDIA@MAIS
 
08/07/2011
(Marly Winnie)

Os seguidores da religião ambientalista têm dificuldade para compreender a insignificância da espécie humana perante as coisas da natureza e por isso creêm em bobagens, a exemplo de estarmos acabando com as florestas do Brasil, da Indonésia ou de outro lugar qualquer. A grandiosidade do mundo vegetal não pode ser compreendida em escala humana. Só a Escala Geológica dá o perfeito entendimento da relação homem X planeta. Um pouco de Geologia básica não faria mal nenhum para eles. A preocupação verdadeira de qualquer ser humano deve ser com a sobrevivência da espécie, e aí está incluído o correto uso dos recursos naturais, quaisquer que sejam eles. Afinal somos um espécie complexa e complicada para tocar a vida.
 
07/07/2011
(julio teixeira)

falta a essa gente talento, o que fazer, e via de regra faltou a boa escola e bons exemplos em casa. E naturalmente vivem disso e de dar uns tapas na coisa ora já em marcha rsrsrsr, apesar de que acho mesmo que não faz tanto mal fumar um, exceto pela indolência que provoca e nada melhor que um ONG onde encostar o lombo, o rabo e a cabeça no lado sombrio da lua. Aliás, esse lado sombrio da lua é onde os petistas e seus cumpanheiros vivem com suas matulas...
 
15/06/2011
(F.Carlos)

Tenho um amigo que trabalhou no gabinete da "candidata", enquanto ministra, uma tremenda de uma 171!
 
15/06/2011
(Lauro Monte)

O comentário do Carlos é certeiro! O ambientalismo tomou o lugar antes ocupado pelo comunismo. E ironicamente é o governo comunista da China que dá o maior exemplo contra o ambientalismo: lá essse ativistas e ONGs fanáticas que proliferam por aqui não tem voz e o desenvolvimento econômico e seus respectivos benefícios sociais são a prioridade absoluta do governo. Mas por aqui seguimos cada vez mais a cartilha verde do neo-imperialismo ianque.
 
15/06/2011
(Marcos Paulo)

No mundo todo? No Brasil não. Parem de ler mídias tendenciosas. Leiam o artigo original: www.plosone.org/article/info:doi/10.1371/journal.pone.0019577 O que o relatório indiscutivelmente mostra é que houve imensas perdas de volume nas florestas do Brasil e da Indonésia. É fato. Ou vão dizer que isso é mito ou histeria ambientalista? Repetimos: A indicação é de aumento da densidade das florestas, inclusive no Brasil, apesar de pequena. Isto é um fato. Mas se mesmo assim você continuar se achando em condições de julgar o que é pertinente ou não informarmos, aqui vai uma recomendação: faça, com urgência, uma contagem de seus neurônios, porque alguma está errada, e não é com nossas informações.
 
14/06/2011
(Carlos)

Esse ambientalismo  relativista e maníaco é o legítimo sucessor do velho fanatismo comunista dos tempos da Guerra Fria, mexendo sobretudo com a capacidade das pessoas de compreenderem os fatos e pararem para pensar. O que tem de palpiteiro e sabichão de boteco opinando sobre este assunto, e nem sequer sabem de onde vem a comida que consomem, é um assombro.
 
14/06/2011
(Ricardo)

Parabéns, Henrique! Falou os pontos-chave de toda essa discussão e tramóia internacionais, tanto das questões da falácia do "aquecimento global" quanto do "caos ambiental". O último parágrafo então foi decisivo. Quer dizer que mesmo na presunção de "arrumarmos a natureza", com reflorestamento também está errado? Realmente a paciência acaba. Chegou a hora de afrontar esses anti-humanos imperialistas. Abraço Ricardo Augusto Felicio Prof.Dr.Climatologia USP-FFLCH-DG
 
INSERIR COMENTÁRIO
Nome / Apelido
E-mail (opcional)
Comentário



Redação: Paulo Zamboni
AmbientalismoAmérica LatinaBrasilCulturaEconomiaEntrevistasEUA e GeopolíticaEuropaMídia em FocoOriente MédioPolíticaSegurança Pública
Artigos IndicadosCLIPPING@MAISEspecialLiteraturaResenhas
Home Editorial Faq Fale Conosco


Canais:
 
MÍDIA A MAIS © COPYRIGHT 2013, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS