Bom dia ! Hoje é Quarta feira, 20 de Setembro de 2017.
 
Fique por dentro de nosso conteúdo em sua caixa de e-mail:
 




 
> Segurança Pública
Compartilhar
Parem de reclamar das torcidas organizadas
13/02/2015 - Felipe Atxa
OK, vamos falar a respeito da violência dos torcedores uniformizados dentro e fora dos estádios brasileiros?
(Quando será que a mídia vai parar de ser hipócrita e denunciar, por exemplo, as ligações de políticos com torcidas organizadas?)
 
OK, vamos falar a respeito da violência dos torcedores uniformizados dentro e fora dos estádios brasileiros?
 
Eles anunciam que irão causar violência deliberada e, depois de cumprirem a promessa, felicitam-se nas redes sociais? Pois bem, os black blocs fazem o mesmo, e a mesma imprensa que repudia as organizadas passa a mão na cabeça dos mascarados.
 
Os líderes das torcidas faturam em cima de sua suposta liderança, autodenominando-se representantes de milhares de anônimos para serem recebidos por autoridades e saírem do anonimato, mas quando seus liderados cometem crimes esses mesmos líderes alegam “não ter controle” sobre os associados? OK, os organizadores de passeatas da extrema esquerda como os passes livres da vida dizem a mesma coisa, e a imprensa engole numa boa.
 
É quase impossível individualizar os crimes dos torcedores quando estes reúnem-se em bandos para agir contra a lei, o que concorre para a impunidade ampla e coletiva dos bandidinhos? Os sem-terra e sem-teto ​beneficiam-se​ ​d​isso há anos, e a imprensa faz vista grossa.
 
As mesmas torcidas que espalham violência pelas ruas, estádios e metrôs têm estreitas ligações com políticos influentes, atuam em “eventos culturais” como o carnaval e são bem vistas por celebridades e formadores de opinião, a despeito de seus históricos criminosos? Sim, da mesma maneira como muitas ONGs e “coletivos” socialistas, cujos líderes são tratados como estadistas pela grande imprensa e governantes. Afinal, urna não rejeita voto (especialmente a eletrônica).
 
A justiça, apesar de seu imenso e luxuoso aparato, revela-se não raro incapaz de manter os torcedores violentos na cadeia, permitindo indiretamente que eles voltem a cometer os crimes logo após serem soltos? Sim, mas isso é semelhante ao que ocorre com “réus primários” e com “endereço fixo” que estupram, sequestram, fazem saidinha de banco, menores homicidas protegidos pela legislação amorosa, invasores de propriedade alheia, etc. O que faz dos organizados do futebol um caso “tão especial”?
 
E a imprensa esportiva que se horroriza com os crimes praticados pelos uniformizados violentos, tem lá assim tanta credibilidade para condená-los, uma vez que está atolada em relações com políticos corruptos e cumpre sua própria agenda político-partidária​?​
 
​Pois é​, alguém ainda tem coragem para levantar a mão e apontar o dedo para os anjinhos das organizadas?
 
 
 



 
Compartilhar

COMENTÁRIOS
INSERIR COMENTÁRIO
Nome / Apelido
E-mail (opcional)
Comentário



Redação: Paulo Zamboni
AmbientalismoAmérica LatinaBrasilCulturaEconomiaEntrevistasEUA e GeopolíticaEuropaMídia em FocoOriente MédioPolíticaSegurança Pública
Artigos IndicadosCLIPPING@MAISEspecialLiteraturaResenhas
Home Editorial Faq Fale Conosco


Canais:
 
MÍDIA A MAIS © COPYRIGHT 2013, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS