Boa Noite ! Hoje é Quinta Feira, 23 de Março de 2017.
 
Fique por dentro de nosso conteúdo em sua caixa de e-mail:
 




 
> Política
Compartilhar
A triste sina do liberal brasileiro
29/11/2014 - Felipe Atxa
A alegria do liberal brasileiro é apoiar o liberalismo meia-boca do governo de esquerda.
(Joaquim Levy: liberalismo onde?)
 
Funciona mais ou menos assim:
 
O governo de esquerda arrebenta com as finanças públicas durante anos e anos​, com o o objetivo evidente de vencer a eleição mais próxima.
 
Tal eleição é vencida em cima do dinheiro público que foi gasto e de mentiras: entre elas, a de que a oposição irá impor um aperto fiscal para melhorar as contas do governo.
 
Quando o governo de esquerda se reelege, é obrigado a corrigir os rumos da economia usando o remédio que acusava a oposição de querer usar.
 
Como o povão não sabe nada de nada, fica tudo por isso mesmo.
 
Ou não.
 
A alegria do liberal brasileiro é apoiar o liberalismo meia-boca do governo de esquerda. Traduzindo: acerto das contas públicas levando em conta aumento de tributos. Aliás, não viveu disso o governo "neoliberal" dos tucanos na Era FHC?
 
Ajuste de contas públicas com cortes tímidos de gastos e aumento de tributos - bem, para isso não precisa ser nenhum gênio em economia, até um robô poderia fazer isso.
 
Isto não deveria ser uma vitória liberal ou motivo de sorrisinhos dos engravatados na imprensa: qualquer ajuste governamental que passe por qualquer aumento de tributos deveria ser tratado por verdadeiros liberais pelo que realmente é - lixo.
 
Mas o liberalismo brasileiro é um órfão de tal maneira esfomeado que confunde migalhas com um banquete.
 
Perdão, liberais brasileiros apaixonados pelo governo: ajuste "liberal" nas contas públicas é se livrar das dezenas de milhares de funções comissionadas, é privatizar mastodônticas universidades federais, é abaixar salário de juízes, é acabar com metade das prefeituras do país, etc. O resto é conversa para liberal dormir.
 



 
Compartilhar

COMENTÁRIOS
01/12/2014
(Conservatore)

Nobre Carlos, a Veja é no mínimo, de "centro-esquerda". Ela é, também, anti-PT, de resto, ela atende as expectativas progressistas (leia-se esquerdistas, socialistas, materialistas), com raríssimas exceções.
 
29/11/2014
(Carlos)

Até a veja já se arreganhou para o novo ministro achando que agora vai.
 
INSERIR COMENTÁRIO
Nome / Apelido
E-mail (opcional)
Comentário



Redação: Paulo Zamboni
AmbientalismoAmérica LatinaBrasilCulturaEconomiaEntrevistasEUA e GeopolíticaEuropaMídia em FocoOriente MédioPolíticaSegurança Pública
Artigos IndicadosCLIPPING@MAISEspecialLiteraturaResenhas
Home Editorial Faq Fale Conosco


Canais:
 
MÍDIA A MAIS © COPYRIGHT 2013, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS