Boa Noite ! Hoje é Sexta Feira, 21 de Julho de 2017.
 
Fique por dentro de nosso conteúdo em sua caixa de e-mail:
 




 
> EUA e Geopolítica
Compartilhar
Obama vs. nós
27/11/2014 - Walter E. Williams
Os EUA estão entrando numa era pós-Constituição, e Barack Obama é apenas o resultado prático disto.
Suponha que você viu uma pessoa dirigindo seu carro no lado errado de uma estrada, contra o tráfico. Será que você vai chamar esse motorista de estúpido e/ou incompetente? Você diz, "Williams, que tipo de pergunta é essa? É claro que ele é um ou o outro!" Eu diria: "Não seja tão apressado. Quais são as suas intenções?". Se as intenções do motorista são de causar uma calamidade rodoviária, dificilmente se pode chamar suas ações de estúpidas ou incompetentes. Dadas as suas intenções, ele agiu sabiamente de forma a atingir os seus objetivos.
 
Esta observação está no cerne da coluna da semana passada do meu colega
​,​
 o Dr. Thomas Sowell, em que ele diz: "Os especialistas que retratam Obama como um fraco, um presidente pato manco podem estar julgando-o erradamente, como fizeram tantas vezes no passado". Depois de sofrer uma goleada eleitoral nas urnas, o presidente Barack Obama emitiu um ultimato ao Congresso, dizendo que se ele não promulgar o tipo de lei de imigração que ele gostaria, ele unilateralmente irá emitir uma ordem executiva para alterar as leis de imigração do país. Esta ameaça, juntamente com outros abusos de seu cargo, não é um sinal de estupidez ou incompetência presidencial."
 
Obama está fazendo exatamente o que ele prometeu durante sua campanha presidencial de 2008 
​a​
 multidões barulhentas e hipnotizadas: "Vamos mudar fundamentalmente a América" ​​e "Nós vamos mudar a América. Vamos mudar o mundo". Obama está vivendo de acordo com essas promessas subvertendo a nossa Constituição e adotando o estilo político de um ditador de república das bananas. Ele mostrou a sua vontade de ignorar a Constituição quando eliminou a exigência de trabalho em leis de reforma do bem-estar promulgadas durante a administração Clinton. A Proteção ao Paciente, o Affordable Care Act, também conhecido como Obamacare, foi aprovada pelo Congresso e, portanto
​,​
 seguiu o devido processo legal, tornando-se lei. Obama usou ordens executivas para mudar a lei em várias ocasiões. Pergunte a si mesmo se a nossa Constituição permite ao presidente alterar unilateralmente uma lei aprovada pelo Congresso. Para um presidente fazer isso ele precisa se comportar como um ditador de república das bananas. Como Sowell diz, "as pessoas que cada vez mais estão questionando a competência de Barack Obama continuam a ignorar a possibilidade alternativa de que seus valores e imperativos fundamentais são diferentes dos deles."
     
As recentes eleições, que deram aos republicanos o controle das duas casas do Congresso, indicam claramente uma rejeição a grande parte da agenda de Obama. Mas a questão é saber se a maioria republicana tem a coragem de agir a partir desse repúdio e impedir o presidente de atropelar a Constituição. Dado que o artigo 1º da Constituição concede ao Congresso o poder sobre o Erário, não há muito que um presidente possa fazer sem uma dotação orçamental. A questão é se o Congresso tem a coragem de exercer o seu poder.
 
Podemos legitimamente condenar o presidente por escolher quais as leis fundamentais ele vai obedecer ou não, em violação do artigo 2
​º​
da Constituição, mas o poder Executivo é uma exceção muito diferente dos outros ramos do governo federal - os poderes Legislativo e Judiciário?
 
O Poder Legislativo está vinculado ao artigo 1º da Constituição. A Seção 8 do artigo 1º define o âmbito do poder do Congresso para taxar e gastar. Em nenhum lugar dentro do artigo 1, Seção 8 é concedido ao Congresso a autoridade para sobrecarregar em pelo menos dois terços o orçamento federal.
 
Os tribunais estão vinculados ao artigo 3
​º​
 da Constituição. Parte da responsabilidade dos tribunais é garantir que os ramos executivo e legislativo do governo defendam a Constituição. A esse respeito, os tribunais têm sido grosseiramente negligentes, particularmente durante e depois 
​d​
a era do New Deal.
 
Vendo como todos os ramos do governo federal ignoram a maioria das disposições da Constituição, acho que podemos dizer com segurança que temos alcançado o estágio de pós-Constituição de nossa história. Os políticos de Washington não são os culpados. É o povo americano que perdeu o amor e respeito pela nossa Constituição. Os políticos de Washington são simplesmente os agentes desse desprezo.
 
 
Tradução: Maria Júlia Ferraz
 
 
Título original Obama vs. Us
 
 
© M@M Proibida a reprodução

 

 



 
Compartilhar

COMENTÁRIOS
17/12/2014
(isabela vasiliu scraba)

Un articol excelent! Concis, inteligent, bine argumentat. Bravo!
 
INSERIR COMENTÁRIO
Nome / Apelido
E-mail (opcional)
Comentário



Redação: Paulo Zamboni
AmbientalismoAmérica LatinaBrasilCulturaEconomiaEntrevistasEUA e GeopolíticaEuropaMídia em FocoOriente MédioPolíticaSegurança Pública
Artigos IndicadosCLIPPING@MAISEspecialLiteraturaResenhas
Home Editorial Faq Fale Conosco


Canais:
 
MÍDIA A MAIS © COPYRIGHT 2013, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS