Boa Noite ! Hoje é Quarta feira, 28 de Junho de 2017.
 
Fique por dentro de nosso conteúdo em sua caixa de e-mail:
 




 
> Ambientalismo
Compartilhar
Apesar da NASA, dos adivinhólogos climáticos e seus "Goebbels Boys" da mídia, a Groenlândia vai bem
- Maurício Porto
Um excelente artigo analisa a situação da Groenlândia, que, segundo a desinformação midiática, estaria "derretendo"...

Caros leitores,

A cada dia que passa, na minha opinião, os adivinhólogos do clima e seus "Goebbels Boys" da mídia, demonstram cada vez mais o seu desespero. Os dados divulgados pelo Met Office e a Universidade de East Anglia Climatic Research Unit em janeiro deste ano de 2012, confirmando que o aquecimento global, desde 1997, se estabilizou - ou seja, acabou - e posteriormente os do HadCrut em abril apresentando um gráfico que mostra claramente que a temperatura da terra vem apresentando sinais de um leve arrefecimento, deixou a "Máfia Climática" totalmente "lelé da cuca", enlouquecida de vez!

Agora, mais uma vez, foi a NASA. Num ato, ao meu ver, de total e proposital histeria, divulgou uma imagem capturada por seus satélites de dois mapas da Groenlândia, que instantaneamente a mídia mundial reproduziu, como sempre, com o maior prazer para o mundo inteiro. Na imagem à esquerda, segundo a NASA, a cor branca corresponde a camada de NEVE depositada sobre a geleira no inverno e que agora no verão derrete para depois ir se recompondo naturalmente, mesmo antes do inverno seguinte. Na imagem da direita - aí é que mora o perigo - a cobertura de NEVE desaparece no mapa que praticamente não tem branco. Só fica um rosa escuro. A mensagem, para eles foi passada! Quem acabou? A NEVE ou a GELEIRA, "Eis a questão"!!! Os mapas e a notícia saíram na primeira página de vários jornais do mundo . Quem é que tem tempo para ler a notícia inteira?

Sabemos muito bem o poder das imagens. Mesmo para leitores bem informados com relação à gigantesca geleira que cobre praticamente toda a Groenlândia, com uma área de aproximadamente 1,7 milhões de km² e com uma média de 1,6 km de altura. Vendo os mapas pela primeira vez - a impressão que fica é que a "geleira dançou e este negócio de aquecimento global deve ser verdade mesmo"!

O que realmente aconteceu desta vez, foi um fenômeno meteorológico e não climático. Uma massa de ar de alta pressão, ficou estacionada sobre a Groenlândia no mês de maio e no início de julho provocou grandes derretimentos nas camadas superficiais de NEVE, principalmente nos dias 8 e 12 de julho. As camadas derretidas no dia 12, já se recuperaram rapidamente. As do dia 8 estão se recuperando mais lentamente. Portanto nenhum pânico! Só tem uma coisa, os dois mapas divulgados pela NASA são, a meu ver, propositadamente capciosos.

Quando afirmo que foi um fenômeno meteorológico e não climático, estou seguindo o que eu estudei: (a diferença é a escala de tempo; clima é uma tendência de longo prazo e no mínimo de 30 anos).

A parte engraçada desta notícia, ficou por conta dos "Goebbels Boys" da NASA, que afirmaram na nota divulgada para a imprensa que "este derretimento não tem precedentes". O texto prossegue e logo em seguida passa a se contradizer afirmando: "eventos de fusão deste tipo ocorrem a cada 150 anos em média. Depois cita uma cientista que diz: "um derretimento nas mesmas proporções, ocorreu em 1889 e também em épocas anteriores". Simplesmente hilário o mico dos "NASA Goebbels Boys"!!!

Apresento abaixo, o texto do excelente blog Banquisa en el Ártico: el blog del hielo marino sobre este grande derretimento da neve superficial na Groenlândia:

- Nos últimos dias a notícia que um derretimento de superfície invulgarmente elevado, foi observado na calota polar da Groenlândia.

Equivocadamente, alguns meios de comunicação sugeriram que em apenas quatro dias a Groenlândia tinha perdido 97% de sua massa de gelo, Isto é um verdadeiro absurdo.

Na verdade, o que aconteceu é que em alguns dias de julho 97% da área de cobertura de gelo (neve) da Gronelândia mostrou sinais de descongelamento, isto é, a presença de água no estado líquido na sua superfície.

Todo verão, a maior parte do gelo da Groenlândia sofre em algum grau a fusão de sua superfície. Temperaturas acima do congelamento e a luz solar fazem com que a neve acumulada sobre a superfície durante o inverno anterior comece a derreter, resultando na presença de água líquida na superfície que será canalizada, coletada e filtrada.

Então, não é incomum o que houve este verão na Groenlândia? Sim, sim, é incomum. O derretimento da superfície geralmente ocorre a cada verão em partes da calota de gelo localizadas abaixo dos 1500 ou 2000 metros acima do nível do mar. No entanto, nas partes mais altas do interior da Gronelândia cobertos por gelo, que atingem altitudes acima dos 3000 metros, o derretimento de superfície normalmente não é visto, como agora, durante este verão.

No entanto, isso está provando um verão muito quente na Groenlândia, através da persistência da alta pressão de Maio na área. Assim, por volta do dia 12 de julho de 2012, os satélites observaram sinais de derretimento de superfície em 97% da área ocupada pelo gelo da Groenlândia, incluindo o seu ponto mais alto, Summit, onde durante quatro dias consecutivos temperaturas máximas foram registradas acima de zero.

Este é o registro máximo de descongelamento na superfície desde que o monitoramento por satélite começou há trinta anos.

Então: nunca foi registrado um derretimento de superfície no pico da calota de gelo da Gronelândia? Bem ... sim. De acordo com núcleos de gelo, em 1889 foi a última vez que um evento deste tipo ocorreu.

Entre aproximadamente 950 e 1250, coincidindo também com a presença aproximadamente dos vikings na Groenlândia, foram encontrados 5 eventos de derretimento da superfície em Summit, uma a cada 60 anos. Desde 1250, novamente não foi observado qualquer derretimento da camada de neve até 1889, mais de 600 anos depois. Desde então, não mais aparece mais nada até 2012.

Por agora, este evento sozinho, e se não for repetido nos próximos anos, não tem um grande significado. No entanto, lembre-se que ele se contextualiza após um período de duas décadas de aumento de temperaturas, de derretimento da neve de superfície e descarga no mar da Groenlândia. Mas algo muito semelhante ocorreu também na década de 20 e 30 do século XX, bem como no Período Quente Medieval, por isso devemos ser cautelosos ao projetar tendências futuras a partir dos dados atuais, bem como atribuí-las a qualquer causas.

 NiotaNotNotNota 

Nota MÍDIA@MAIS: Para ler o artigo na integra e ter acesso aos links e imagens, acesse aqui

 



 
Compartilhar

COMENTÁRIOS
04/10/2012
(Marcos)

a Terra está em constante movimentaçao e mudanças climáticas, não para um só segundo e é indiferente àqueles que habitam em sua superficie, mero hospedes temporários na escala geológica do tempo. assim tem sido ha mais de 4 bilhoes de anos. quando tudo parece tranquilo, com espécies se desenvolvendo e modificando, as placas tectonicas se movimentam, se afastam ou se chocam ou se esfregam e tudo começa de novo após a eliminaçao da maioria das espécies que ali estavam em paz por centenas de milhares de anos. as espécies surgem e desaparecem devido às mudanças do ambiente. nós tambem passaremos, e talvez mais rapido do que outras espécies que duraram milhoes de anos; mas outras daqui a um milhao de anos ocuparão o nosso lugar e tomara que sejam mais inteligentes.
 
28/08/2012
(Frank)

O problema do planeta Terra é a superpopulação humana. Quando a nossa nave-mãe perder paciência com essa gentarada trepando nas suas costas, ela vai dar o troco, e milhões irão pagar a conta da irresponsabilidade paterna do Homem.
 
06/08/2012
(Edenilson)

Ao criticar os críticos da mídia, acabei generalizando, já que o próprio Mídia@ Mais está criticando a mídia nesse artigo, mas me refiria aos defensores do AGA que ao mesmo tempo criticam a mídia.
 
05/08/2012
(Leitor)

Não entendi o comentário o leitor Edenilson...
 
04/08/2012
(Edenilson)

É incrível como uma crença criada pela mídia é tão bem aceita e até defendida justamente por aqueles que mais criticam a mídia.
 
INSERIR COMENTÁRIO
Nome / Apelido
E-mail (opcional)
Comentário



Redação: Paulo Zamboni
AmbientalismoAmérica LatinaBrasilCulturaEconomiaEntrevistasEUA e GeopolíticaEuropaMídia em FocoOriente MédioPolíticaSegurança Pública
Artigos IndicadosCLIPPING@MAISEspecialLiteraturaResenhas
Home Editorial Faq Fale Conosco


Canais:
 
MÍDIA A MAIS © COPYRIGHT 2013, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS