Boa Noite ! Hoje é Segunda Feira, 23 de Outubro de 2017.
 
Fique por dentro de nosso conteúdo em sua caixa de e-mail:
 




 
> América Latina
Compartilhar
“Pinheirinho” de brasileiros no Paraguai não sensibiliza nossos bravos esquerdistas
- Redacao Midia@Mais
Ah, Pinheirinho, se todos fossem iguais a você... Brasileiros e “brasiguaios” que trabalham e vivem da terra no Paraguai têm sido vítimas de todo tipo de ameaça e abuso: têm suas terras confiscadas, são ameaçados por milicianos, enfrentam cárcere privado, e agora perdem propriedade também para “empresas” do vizinho hermano.

Ah, Pinheirinho, se todos fossem iguais a você... Brasileiros e “brasiguaios” que trabalham e vivem da terra no Paraguai têm sido vítimas de todo tipo de ameaça e abuso: têm suas terras confiscadas, são ameaçados por milicianos, enfrentam cárcere privado, e agora perdem propriedade também para “empresas” do vizinho hermano.

Mas por que será que Dilma não se pronuncia, dizendo que acha uma “barbárie” o que ocorre por lá, da mesma forma que teria feito em relação ao assentamento irregular em São José dos Campos?
 
Este vídeo dá uma amostra da situação alarmante vivida pelos brasileiros que tomaram uma autêntica “pernada” do governo paraguaio: eles têm escrituras das terras, que compraram legalmente, e agora percebem que para revolucionários e comunistas como os que governam boa parte da América do Sul, “contratos” e outras obrigações legais são detalhes facilmente ignorados: http://terratv.terra.com.br/Noticias/Brasil/4194-404785/Brasileiros-sao-expulsos-de-terras-no-Paraguai-por-supostos-policiais.htm. Vale a pena reparar nos picaretas que oprimem os brasileiros dizendo ser “policiais”.

É uma vergonha que o governo brasileiro tenha perdido tanto tempo legalizando a vida do terrorista Cesare Battisti por aqui, mas não dê a mínima para o que ocorre com os brasileiros que produzem riqueza do outro lado da fronteira.

Mas é fácil perceber por que os esquerdistas escandalizados com o episódio do Pinheirinho não ligam para esse caso de “reintegração de posse”: os “brasiguaios” não têm bandeiras vermelhas para empunhar, nem foram treinados em guerrilha pelo MST. São apenas trabalhadores querendo trabalhar. Assim sendo, quem liga para eles?

 



 
Compartilhar

COMENTÁRIOS
05/08/2012
(Hugo Siqueira)

O Paraguai é uma extensão territorial do Brasil com o qual mantemos uma convivência estratégica e protecionista. Temos tratados celebrados com o partido colorado no poder há décadas. É o único dos vizinhos no qual investimos muito sem esperar contrapartida: Ponte da Amizade, Binacional Itaipu e a construção de linha de transmissão até Assuncion Acedemos aos apelos do bispo "inseminarista" até que começou a criar dificuldades para os brasiguaios. A mesma pressa com que foi substituido (constitucionalmente) foi usada como modelo para a entrada da venezuela no Mercosul (contrariando tratados). Temos muito mais interesses a defender no Paraguai do que na Venezuela de Chaves, simples parceiro comercial.
 
03/08/2012
(João Santos )

Enquanto isso eles vão comendo pela beirada e qualquer reação ignorada. Dominando e nem aí com as críticas. Esses governos esquerdistas ainda vão dar muito prejuízo para todos. É só esperar e quem viver verá. Eles só estão começando. Quando será que os muros serão levantados? Daí é só depois de muita destruição e morticínio que o muro pode cair. Espero que não leve setenta anos. Se é que vai sobrar alguma coisa.
 
26/02/2012
(hugo siqueira)

fazer sociedade com pobre é o mesmo que pedir esmola pra dois. ditado mineiro O Mercosul é um sindicato de países similares com objetivos comuns: portanto só podem competir. Para haver cooperação os objetivos devem ser distintos e os países complementares.
 
INSERIR COMENTÁRIO
Nome / Apelido
E-mail (opcional)
Comentário



Redação: Paulo Zamboni
AmbientalismoAmérica LatinaBrasilCulturaEconomiaEntrevistasEUA e GeopolíticaEuropaMídia em FocoOriente MédioPolíticaSegurança Pública
Artigos IndicadosCLIPPING@MAISEspecialLiteraturaResenhas
Home Editorial Faq Fale Conosco


Canais:
 
MÍDIA A MAIS © COPYRIGHT 2013, TODOS OS DIREITOS RESERVADOS